sexta-feira, outubro 22, 2021

AS BASES DA  MEDITAÇÃO  DA LUZ CORAÇÃO
⼼光の道    -   Shinkō no Michi

A Meditação da Luz do Coração não é uma simples técnica de sentar para meditar ou recitar mantras, mas um conjunto de atividades físicas, mentais e  energéticas,  fundamentadas em conceitos vinculados as escolas do budismo Zen e Shingon, ou seja, da escola da meditação de acesso direto a verdade e da escola do Mikkyo, que se refere ao que existe de fato, mas  que encontra-se oculto.

Os pilares da Meditação da Luz do Coração, contudo, estruturam-se em conceitos básicos preconizados por Siddharta Gautama há mais de dois e quinhentos mil anos e, posteriormente, por outros Bodhisattvas, com inspiração na figura do Buda da Cura, Yakushi Nyorai (薬師如来). Essa Meditação da Luz do Coração vai além de uma simples técnica para o controle do estresse ou para a promoção do bem-estar.

Ela abarca diversas práticas preparatórias, que permitem ao praticante mobilizar a energia mente-corpo e despertar a intuição e a criatividade, desenvolvendo uma fé inabalável na vida espiritual e na natureza.

Após a familiarização com os aprendizados acima e com as suas práticas, é possível desenvolver aprendizados especiais relacionados a ações coletivas, com as quais é possível ajudar, concomitante, diversas pessoas ou grupos no sentido de influenciá-los na busca do caminho da verdade. 

Os conhecimentos e práticas relatados nesse texto são oriundos da minha pesquisa e experiência clínica de mais de 50 anos como professor, profissional da área da saúde e, sobretudo, como monge budista das escolas japonesas Zen e Shingon, no Japão. 

Como profissional da saúde com especialização, mestrado e doutorado em Acupuntura e Medicina Tradicional, e como Psicanalista com especialização em Neuropsicanálise, além de trabalho no magistério nesses setores. 

Como pedagogo e filósofo com licenciatura e doutorado na área, fui ordenado monge budista no Japão e praticando meditação em diversos mosteiros das escolas Zen e Shingon daquele país: Mosteiro Ryōkōin, em Kyoto; Mosteiro Manpukuji, em Kyoto; e no Mosteiro Jochi-In, em Koyasan, Wakayama ken, todos no Japão.

Durante muitas décadas, dediquei à integração de procedimentos científicos associados às praticas orientais relacionadas ao autoconhecimento e ao desenvolvimento espiritual de pacientes e de outros interessados, empregando as práticas relatadas nesse texto. 

 Rio de Janeiro, 03 de abril de 2021 

                                                            

Prof. Dr. Sohaku Bastos